Dr. Roberto Pestana explica quais os tipos de Sarcoma que existem

Dr. Roberto Pestana explica quais os tipos de Sarcoma que existem

Existem diferentes tipos de sarcomas — tumores considerados raros, que atingem as partes moles (como músculos, gorduras, vasos sanguíneos, tendões e nervos) ou ossos. A maioria se desenvolve nas pernas e nos braços, mas podem ocorrer em qualquer parte do organismo. Atualmente, são conhecidos mais de 100 subtipos, cuja nomenclatura varia conforme o tecido onde a neoplasia se originou.

Neste artigo, confira as características dos tipos de sarcomas mais recorrentes. Continue a leitura e entenda mais sobre o assunto.

Quais são os principais tipos de sarcomas?

O sarcoma é um tipo de câncer que surge nos tecidos conjuntivos. A seguir, conheça os principais tipos.

Tumores estromais gastrointestinais

Os tumores estromais gastrointestinais (GIST, na sigla em inglês) são um tipo de sarcoma que se origina no trato digestivo. A maioria surge no estômago ou no intestino delgado. Uma pequena parte pode aparecer em áreas próximas, como no peritônio (membrana que recobre os órgãos abdominais e pélvicos) ou no omento (cobertura adiposa localizada no abdômen).

Fibrossarcomas

Os fibrossarcomas atingem os tecidos fibrosos. Geralmente, surgem nas pernas, braços ou tronco. Sua ocorrência é mais comum na idade adulta, dos 20 aos 60 anos, mas também existe o subtipo infantil.

Lipossarcomas

Os lipossarcomas surgem no tecido adiposo. São mais comuns nas coxas, abaixo do joelho e no interior do abdômen, mas podem ocorrer no corpo todo. Aparecem, principalmente, entre os 50 e 60 anos de idade.

Sarcoma de Kaposi

O sarcoma de Kaposi se desenvolve nas paredes dos vasos linfáticos ou dos vasos sanguíneos. Geralmente, manifesta-se como tumores na pele das pernas, rosto e/ou nas mucosas (dentro da boca, por exemplo). Porém, pode se limitar ao interior do organismo, aparecendo em nódulos linfáticos, no sistema digestivo e nos pulmões.

Sarcoma alveolar de partes moles

O sarcoma de partes moles alveolar (SAPM) costuma ocorrer nas pernas. É mais comum em adultos jovens.

Angiossarcomas

Os angiossarcomas se desenvolvem a partir nos vasos sanguíneos. Sua ocorrência está ligada à exposição à radiação, entre outras causas. Podem acometer a pele ou órgãos internos (como o fígado e coração).

Sarcoma de células claras

O sarcoma de células claras costuma aparecer nos tendões de pernas e braços. Apresenta algumas características semelhantes ao melanoma (câncer de pele).

Sarcoma epitelioide

O sarcoma epitelioide, geralmente, acomete tecidos sob a pele das pernas, pés, antebraços e mãos. É mais frequente em adolescentes e adultos jovens.

Tumor de células desmoplásicas pequenas e redondas

O tumor de células desmoplásicas pequenas e redondas é mais recorrente no abdômen. Na maioria dos casos, surge em adolescentes e adultos jovens.

Tumor maligno dos nervos periféricos

O tumor maligno do nervo periférico é um tipo de sarcoma que surge em células que circundam os nervos.

Rabdomiossarcoma

O rabdomiossarcoma é um tipo de sarcoma que atinge as células que formam os músculos estriados. Trata-se do sarcoma de partes moles mais comum em crianças.

Sarcoma sinovial

O sarcoma sinovial aparece em tecidos que protegem as articulações, principalmente, dos joelhos e tornozelos, mas também pode ocorrer no quadril e nos ombros. É mais comum entre crianças, adolescentes e jovens, mas também pode surgir em idosos.

Sarcoma pleomórfico indiferenciado

O sarcoma pleomórfico indiferenciado, também chamado de histiocitoma fibroso maligno, geralmente, aparece nas pernas e braços, mas também pode surgir no abdômen. É mais frequente em adultos.

Osteossarcomas

Os osteossarcomas se desenvolvem nos ossos. A maioria dos acometidos tem entre 10 e 30 anos, com prevalência maior em adolescentes.

Como é o diagnóstico dos sarcomas?

O diagnóstico dos sarcomas pode ser feito de duas formas: (1) em função de sintomas ou (2) “por acaso”, durante a investigação de outras patologias. Como em qualquer diagnóstico, tudo começa com o levantamento do histórico clínico (pessoal e familiar),perguntas sobre sintomas e avaliação de fatores de risco.

Caso haja suspeita de câncer, o especialista solicita exame laboratoriais e de imagem. Se confirmada, são necessários mais exames (como biópsias) — para avaliar o estágio da doença.

Qual é a melhor forma de tratar os diferentes tipos de sarcomas?

A indicação de tratamento depende do tipo de sarcoma – havendo mais de 100 subtipos, a abordagem não é única.

Geralmente, para aqueles tumores que ainda estão localizados, isto é, sem metástases, o tratamento pode ser composto de:

  • cirurgia, para retirada do tumor e ressecção das áreas próximas (a chamada margem de segurança);
  • radioterapia, para reduzir o risco do reaparecimento da doença no mesmo local.
  • quimioterapia, para reduzir o risco de reaparecimento da doença em outros órgãos, e potencialmente para reduzir o tumor antes da cirurgia.

Entretanto, nem todos os pacientes precisam receber todos esses tratamentos!

Naqueles casos em que há metástases diagnosticadas, costuma-se recorrer à quimioterapia como primeiro tratamento.

Outras opções possíveis, usadas combinada ou isoladamente, são a terapia alvo, e a hormonioterapia. Além disso, a imunoterapia tem resultado em alguns tipos de sarcomas.

Para concluir, é importante mencionar que, nos últimos anos, diversas pesquisas vêm sendo feitas para compreender, melhor, os aspectos genéticos ligados ao aparecimento desses tumores. Dessa maneira, os tratamentos podem ser feitos com base em testes moleculares para terapia individual personalizada.

Com tantos tipos de sarcomas, tamanha especificidade pode ser muito benéfica. Por isso, os tratamentos desses tumores devem ser, preferencialmente, conduzidos por especialistas na área. Oncologistas preocupados em se manter continuamente atualizados e praticantes da chamada medicina de precisão podem fazer a diferença no prognóstico e sobrevida dos pacientes.

Esperamos que o artigo tenha contribuído para o seu conhecimento. Se você tem interesse em aprofundar ainda mais no assunto, siga o Dr. Roberto Pestana no Facebook e Instagram e conheça, em primeira mão, os avanços na área da oncologia especializada em sarcomas.

Compartilhe

Publicado por: - Oncologista - CRM 170.446
O Dr. Roberto Pestana (CRM 170.446) é oncologista clínica do centro de oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein. Além disso, ele é médico do ambulatório de sarcomas do Hospital Municipal Vila Santa Catarina.